Reviravolta no caso Feliciano: Patricia Lelis é investigada por extorsão

Uma grande reviravolta está mudando o rumo do Caso Feliciano. A acusadora do pastor, Patrícia Lelis passa também a ser investigada pela polícia civil por falsa comunicação de crime e possível tentativa de extorsão ao pastor Marco Feliciano.

De acordo com a polícia, um vídeo gravado no saguão do hotel onde Lelis alega ter ficado em carcere privado, mostra Patricia e Talma Bauer, assessor de Feliciano, em clima “amistoso”, o que descaracteriza a versão da jovem sobre o carcere.

Em uma das imagens, Bauer e Patrícia aparecem no saguão do hotel em clima descontraído se abraçando e conversando. Bauer, que é investigador aposentado da Polícia Civil de São Paulo, chegou inclusive a entregar seu cartão na recepção.

Um amigo de Patrícia que a acompanhou vindo de Brasília para São Paulo, e também estava hospedado no Hotel, entregou à Polícia Civil R$ 20 mil que estava no hotel com eles. O dinheiro teria sido entregue por Bauer a Patrícia para manter o silêncio. Tanto Bauer quanto Patrícia negam o dinheiro.

Com base nesses vídeos e em áudios entregues à polícia, o delegado Luís Roberto Hellmeister disse que vai investigar se a jornalista cometeu falsa comunicação de crime e extorsão.

 

A Rede Pentecostal é o maior portal de Notícias Gospel do segmento pentecostal no Brasil.