5 atitudes que um bom pregador nunca deve ter


Você tem se comportado como um bom pregador ou suas atitudes tem causado escândalo?


Olá sou seu irmão Saulo da Cruz, e hoje trago algumas dicas comportamentais para pregadores em minha coluna semanal na Rede Pentecostal. Algumas más atitudes tem comprometido o futuro de novos pregadores e até de alguns mais antigos nas igrejas pentecostais. Temos visto uma geração de pregadores desorganizados e sem comprometimento que ao invés de trazer edificação para a igreja, tem causado murmuração por onde passa. Não adianta querer conquistar o respeito da sua igreja se suas atitudes demonstram imaturidade espiritual. Acompanhe abaixo algumas dicas preciosas que vão te ajudar a não entrar no caminho dos pregadores que não dão exemplo.

1- Nunca chegue atrasado no culto;

Já percebeu o que tem de pregador que já chega no culto quase na hora do “amém”? Chegar atrasado já virou rotina de alguns pregadores que gostam de chegar na igreja somente na hora de subir ao púlpito. Chegar sempre tarde no culto é um péssimo exemplo. Isso denota que o pregador é desorganizado e não tem comprometimento. O início do culto é tão importante quanto qualquer outro momento da celebração. Ao chegar sempre atrasado você perde a oportunidade de orar junto com a igreja. Pode ter certeza, quando as pessoas chegarem no culto e verem que o pregador já está de joelhos aos pés do Senhor, darão mais credibilidade a ele. Por isso evite a todo custo chegar atrasado. Se for pregar longe, saia com muita antecedência. Se você trabalha e não pode chegar muito cedo evite marcar pregações muito longe e por final sempre que algum imprevisto acontecer e você chegar atrasado, peça desculpas para igreja e justifique o ocorrido.

2 – Nunca termine a pregação fora do horário

Se chegar atrasado é ruim, imagina aquele pregador que pra completar termina o culto 10 horas da noite? Pois é muitos ministros ignoram totalmente o horário de término do culto. Mais um exemplo de pregador desorganizado e sem comprometimento. A desculpa desses pregadores geralmente é que “quando Deus está falando o homem não pode impedir” ou o “Espírito Santo está me mandado prosseguir”. Isso não é verdade! Nosso Deus preza por “ordem e decência” no culto (I COR 14:40).  O culto deve ter horário pra começar e terminar. Qualquer coisa que passar disso é desordem na Casa de Deus. Se até em um circo, tem horário para começar e encerrar as apresentações, por que na Casa de Deus, que um lugar infinitamente mais edificante, não tem que ter horário? Portanto é imprescindível que o pregador se habitue a terminar o culto no horário estipulado. Não cause murmurações com seu comportamento tanto perante os crentes como descrentes.

3 – Nunca use o púlpito pra lavar roupa suja

Outro defeito que tem se tornado uma epidemia é pregadores que desabafam no púlpito, transformando a tribuna em um “tanque pra lavar roupa suja”. E aí o culto se transforma em um festival de indiretas, acusações e fatos distorcidos. O pregador que faz esse tipo de coisa é um covarde, pois se aproveita da posição de destaque em que ele se encontra para achincalhar seus desafetos. Todo o pregador inciante ou não dever sempre ter em mente que o púlpito é um lugar para pregar exclusivamente a Palavra de Deus mais nada! Não se deve usar o púlpito para tratar assuntos pessoais ou questões internas da Igreja. Quem vai cultuar a Deus, não está interessado nos problemas pessoais do pregador! Muito pelo contrário, as pessoas muitas vezes vão ao culto com problemas e esperam consolo na Palavra de Deus, mas aí dão de cara com um pregador com mais problemas do ele, aí não dá né? Lembre-se que a responsabilidade do pregador é muito grande. Uma alma pode ser salva através da sua pregação, não desperdice a oportunidade.

4 – Nunca pregue o que não conhece direito

Procure sempre estudar o que você vai pregar. É notório quando um pregador aparenta estar perdido na Mensagem. Ou ele começa a repetir toda hora a mesma coisa ou começa pregando sobre a Travessia do Mar Vermelho, depois pula para as Sete Cartas do Apocalipse, depois volta Cego de Jericó e assim vai.  Quem deixa pra definir a mensagem em cima da hora corre o risco de não explorar bem o contexto da mensagem, deixando a pregação “sem pé nem cabeça”. Se você pedir a Deus que lhe dê mensagem com antecedência certamente você estará mais bem preparado para pregar e poderá tirar o melhor proveito da Palavra para benefício da Igreja. Se você se preparar antes de pregar, poderá buscar outras referências bíblicas coerentes que irão ajudar caso você não tenha mais o que falar do texto principal. Por exemplo, se o texto principal é sobre “A Descida do Espírito Santo em Atos 2”, você pode traçar um paralelo com Levítico 6:13 (O fogo arderá continuamente sobre o altar) e com outras inúmeras passagens bíblicas. Lembre-se: Quando você prega passagens que você conhece bem ou estudou pra conhecer, sua pregação, por mais simples que seja, vai fazer sentido para a igreja.

5 – Nunca se comporte diferente do que você prega

Essa dica é sem dúvida a principal desse artigo. É fato que muitos pregadores não vivem o que pregam. Eles sabem pregar bonito quando estão no púlpito mas quando descem dele, fazem totalmente o oposto do que pregaram. Pedem atenção da igreja quando estão no púlpito mas quando não estão na tribuna, ficam conversando o tempo todo. Pedem pra igreja glorificar mas quando estão sentados no banco parece que alguém colou a boca deles. Em resumo parece que são bipolares: No púlpito é o vaso de fogo, sentado é mais frio que uma Brastemp. Essa atitude reflete o comportamento de pregadores exaltados que não tem humildade pra ouvir outro pregador por acreditarem que pregam melhor e que é uma perda de tempo ele estar sentado no banco ao invés de estar no púlpito. Outro exemplo que é também recorrente é de pregadores que amam descer o cajado mas vivem no pecado. Criticam a falta de santidade dos jovens mas vivem de namoricos por aí. Pregam um casamento perfeito, mas o seu próprio casamento vai de mal a pior. O cristianismo é exemplo. Um bom testemunho tem tanto poder quanto uma boa pregação.

Bom irmãos é isso. Até o próximo artigo em que trarei mais dicas importantes para o desenvolvimento de nossos pregadores. Graça e Paz!

É formado em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda. É pregador pentecostal desde os 14 anos. Trabalha na área de palestras e treinamentos em uma multinacional japonesa. É proprietário do portal Rede Pentecostal e escreve sobre diversos temas nesse site.