Sérgio Sora Processa a Família Miranda

Por Saulo Souza da Cruz, Rede Pentecostal

Para quem acreditava que os desentendimentos entre o Pastor Sérgio Sora e a família Miranda tinham se encerrado, saibam que estão redondamente enganados. Um novo capítulo dessa história que já deu o que falar, começou a ser escrito no Tribunal de Justiça de São Paulo. O Pastor Sérgio Sora moveu uma ação judicial contra a família Miranda na 18ª Vara Cível – Foro Central (Fórum João Mendes Junior), no centro da capital paulista em Setembro desse ano. Foram processados a cantora Débora Miranda, o ex-pastor Daniel Miranda, o já falecido Missionário David Miranda, a atual presidente da IPDA, Ereni Miranda, o Pastor Davi Miranda Filho e a cantora Léia Miranda, sua ex-mulher.

A família Miranda: Ereni Miranda, Leia Miranda, David Miranda Filho e o falecido pastor Missionário David M. Miranda.
A família Miranda: Ereni Miranda, Leia Miranda, David Miranda Filho e o falecido pastor Missionário David M. Miranda.

Segundo o documento disponível no site do Tribunal de Justiça de São Paulo, Sérgio Sora alegou à Justiça que 2 anos após ter tido o desentendimento que culminou com sua saída da IPDA (Igreja Pentecostal Deus é Amor), a família Miranda o excluiu da gestão da Rádio Tupi mesmo sendo ele sócio administrador da emissora. Sóra Alega que nunca assinou nenhum tipo de documento ou procuração transferindo ou cedendo seus direitos de sócio administrador a terceiros. Sóra afirma ainda que os reus, transferiram a concessão do canal 1060, sob a administração da Rádio Tupi, para outra emissora, cujos sócios são também membros da família Miranda. “Alega que o mais provável é que os réus tenham feito um contrato fraudulento com data retroativa para poder burlar o direito do autor de ter o canal 1060 AM sob a administração da Rádio Tupi”, afirma o texto publicado pela justiça. Para a justiça Sora alegou que a família Miranda praticou “negócio jurídico simulado”, com intuito de transferir seu direito a outros membros da família Miranda. O Pastor Sérgio Sora, solicitou à justiça a anulação de todos os negócios envolvendo o canal 1060, para retomar o controle da concessão e ainda os lucros que deixou de obter com a emissora. O valor da ação é de R$ 100.000,00 reais.

O ex-pastor da IPDA, Sérgio Sora.
O ex-pastor da IPDA, Sérgio Sora.

A juiza que está julgando o processo, Dra. Maria Rita Rebello Pinho Dias, negou incialmente o pedido de tutela antecipada que agilizaria os efeitos da sentença em favor do autor, por entender que Sérgio Sora precisa esclarecer uma série de fatores, entre eles se em algum momento de fato exerceu controle administrativo sobre o canal 1060 AM, “esclarecendo em que momento e circunstância isso se deu”, afirmou a justiça.

Todas as partes do processo foram intimadas pela justiça.

Oração na IPDA

Curiosamente nesta semana a IPDA está convocando todos os membros e até frequentadores do ministério para entrarem em oração. Geralmente essa convocação acontece quando o ministério está enfrentando algum problema na justiça, entretanto não é possível determinar se tal ação tem haver com o processo movido por Sora.

Comente pelo Facebook

Comente pelo Facebook

Saulo Souza da Cruz

É formado em Comunicação Social - Publicidade e propaganda. Evangélico, criou a Rede Pentecostal para divulgar notícias do segmento pentecostal.

more recommended stories