Urgente: Porque David Filho pode não continuar a ser pastor?


Escândalo envolvendo o pastor deusamorense pode eliminar de vez sua função de pastor dentro da IPDA

Por Saulo Souza da Cruz, São Paulo.


O recente caso de escândalo envolvendo o pastor David Miranda Filho, expos uma situação que a diretoria da Igreja Pentecostal Deus é Amor evitava a todo custo comentar: O fato de David Filho, um dos principais pastores desse ministério, ser divorciado, ter um comportamento reprovável e ainda assim exercer plenamente a função de pastor, tendo inclusive autonomia sobre outros obreiros.

Veja também:

Programa “Em Análise” da última segunda explica porque David Miranda Filho não deveria voltar a ser pastor

Dentro da IPDA não se fala em outro assunto se não esse, afinal todos estão curiosos pra saber como o ministério conseguirá gerir sua primeira grande crise pública após o falecimento do Missionário David Miranda. O deusamorense quer saber se mesmo após todo o escândalo que David Filho se envolveu, ele ainda continuará nos púlpitos da Sede Mundial, quando sua suspensão acabar. Fontes próximas à diretoria garantem que a última coisa que a IPDA quer é transparecer conivência com o pecado e assim poder manter a “sã doutrina”, sabendo que  qualquer decisão equivocada nesse momento pode gerar um péssimo exemplo para corpo de membros e consequentemente insatisfação geral.

É fato que independente do que acontecer com David Miranda Filho, ele já não deveria ser pastor a muito tempo. A IPDA como todos sabem, é um dos ministérios evangélicos pentecostais mais conservadores que existem no país. Seu regulamento interno (RI), proíbe entre outras coisas, o divórcio e novo casamento. Na IPDA, uma vez divorciado, o membro só pode entrar em comunhão se voltar a conviver com seu cônjuge ou em caso de morte do parceiro. Caso o divorciado case novamente estando seu cônjuge vivo, isso seria considerado adultério para o ministério. Outras igrejas como a Assembleia de Deus, até permitem um novo casamento para os divorciados em caso de adultério de um dos cônjuges. A IPDA é nesse sentido uma das poucas igrejas que não permitem em nenhuma hipótese um segundo casamento para os divorciados. Embora a IPDA possa admitir que um divorciado entre em comunhão se ficar sozinho, não é comum dentro do ministério que alguém divorciado possa ser obreiro ou muito menos pastor, a exceção no entanto parece se aplicar apenas a David Miranda Filho. Já há muito tempo, essa situação tem causado insatisfação em muitos irmãos da IPDA, principalmente nos obreiros fieis e de boa fama que mesmo sendo bem casados e tendo comportamento exemplar, dificilmente conseguem ser ungidos a diácono ou presbítero e muito menos conseguem ter algum cargo de liderança dentro da IPDA.

Estaria David Miranda Filho sendo privilegiado por ser um “Miranda”? Será que David Miranda Filho poderia realmente ser um pastor?

Ao que tudo indica a IPDA realmente privilegiou o pastor David Miranda Filho até agora, pois a julgar pela sua conduta inapropriada e confrontado com a verdade do que a bíblia afirma ser necessário para função de pastor, o filho mais velho do missionário David Martins de Miranda não poderia em hipótese alguma exercer uma função de obreiro dentro da IPDA. O Apóstolo Paulo listou claramente à Timóteo algumas características necessárias para a função de pastor. Pegue a sua bíblia e veja abaixo que David Filho está a “anos luz de ser qualquer coisa próxima a um pastor”.

O pastor deve ter um casamento exemplar

“Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher… ” (1Tim 3:2). A expressão “marido de uma mulher” significa muito mais do que o leitor superficial possa imaginar. O ensino é que a mulher com quem o pastor é casado, é a sua primeira e única! É alguém que encontrou uma esposa e deixou de ter olhos para outras mulheres. Ele é dedicado àquela única mulher O que está em jogo é a conduta ilibada e irrepreensível do pastor no seu relacionamento singular com a sua primeira esposa.

O pastor David Miranda Filho não é casado e sim divorciado. Ele se separou da sua esposa Raquel Borges há 16 anos atrás e isso biblicamente já o impede de exercer qualquer função de pastor, presbítero ou diácono. Trata-se de uma exigência bíblica. É de fato espantoso que um ministério como a IPDA, que tem a preocupação com inúmeros costumes e doutrinas simplesmente faça vista grossa a isso. David Miranda Filho não pode pregar numa igreja como pastor, muito menos aconselhar os casais crentes sobre família, porque a sua não é mais exemplo. Se tentar aconselhar estará sendo hipócrita, se não aconselhar estará sendo omisso com o ministério. Não tem jeito, o cristianismo não funciona segundo palavras vazias, mas com exemplo de vida. Mesmo que o homem não tenha se casado novamente, a situação de separação da primeira esposa já o desqualifica para o pastorado. Se o pregador está em rebeldia no seu viver, ele está desqualificado para pregar. Suas palavras são vazias e sem unção. Não importa o que a igreja pense, o tamanho da congregação, ou quantas conversões acontecem: o seu líder nessas condições está sem a bênção do Senhor, não importando os “sinais externos”: os resultados não autenticam a fonte (1Cor 3:13-15).

Portanto, pode-se dizer que um pastor deve ser um homem maduro na sua sexualidade e no seu compromisso e fidelidade à sua esposa. Isso poupa a igreja de grandes riscos, como alertou MacArthur: “Esta qualificação encabeça a lista porque é nessa área que líderes são mais inclinados a falhar.” O casamento do pastor é belo e exemplar, adequado modelo do Evangelho (Ef 5:25-32). Viúvos, solteiros e divorciados são exceções e precisam ser analisados caso a caso, inclusive no aspecto da pureza sexual e moral. Na grande maioria das vezes, o presbítero ou pastor é um homem casado e marido exemplar.

A conduta de um pastor deve ser irrepreensível

A bíblia é clara: a conduta de um pastor, bispo, presbítero ou diácono deve ser irrepreensível. Em 1 Tm 3:2 temos as qualificações para o pastor: ” Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível…” A palavra traduzida por irrepreensível usada no texto acima é no grego “anepleptos”. Ela aparece 3 vezes no Novo Testamento, a saber: 1 Tim 3:2, 5:7 e 6:14. O significado é sempre o de alguém de quem não se pode falar nada contra, sem mancha, sem culpa, inacusável. Um pastor tem que ser necessariamente irrepreensível. 

Diante do recente escândalo envolvendo o pastor David Filho, será que ele preenche os requisitos bíblicos de ser irrepreensível? Vamos ver:

  • Pelo que vimos na conversa que o pastor teve com a jovem assembleiana Aline Almeida, através do aplicativo de mensagens do Facebook, ele pediu que a jovem enviasse fotos dela nua, enquanto estava ensaiando com sua banda dentro da igreja. Configura pornografia e adultério.

 

  • Perguntou claramente se a jovem estaria disposta a manter um relacionamento sexual com ele. Configura adultério.

 

  • Tentou convencer a jovem a vir a São Paulo para manter um caso sexual escondido com ele. Configura Adultério e prostituição.

 

  • Quis pagar as despesas da viagem da moça à São Paulo para consumar o adultério. Usando o salário de obreiro para coisas impróprias.

 

  • Ameaçou a moça, prometendo ir até a casa dela com advogados para impedir que o caso viesse a público. Queria esconder tudo.

 

  • Um mês depois, admitiu publicamente que cometeu o pecado, porém chamou tudo que fez de simplesmente “erro bobo”.

 

Agora eu pergunto a todos, deusamorense ou não, o comportamento elencado acima é irrepreensível? Sejam justos à luz da Palavra de Deus! Alguém que teve a ousadia de agir de maneira tão descarada está mesmo apto a aconselhar um rebanho ou mesmo liderar outros pastores?

Um pastor não tem a sua sexualidade exacerbada de maneira que sejam incontinentes e facilmente tentáveis. Homens assim ainda apresentam traços de comportamento adolescente e portanto precisam amadurecer. Um pastor não pode ser um paquerador, um flertador, alguém que está em uma atitude de “conquistador” em relação a outras mulheres, como fez David Filho.

O ministério pastoral não é para qualquer um, mas para os que tem condições morais de dar exemplo ( Heb. 13:7).

Fica difícil para David Miranda Filho dar um verdadeiro exemplo como pastor, como pai ou mesmo como filho. Ele já não é um jovenzinho de 14 anos! Ele é um homem que já tem cabelos brancos, pai de 4 filhos. Que exemplo ele tem pra dar para juventude da IPDA? Como David Miranda Filho poderá aconselhar quem quer que seja dentro da IPDA?

O curioso é que desde que o pastor foi suspenso há várias pessoas inundando o Facebook do pastor dizendo coisas do tipo:

“Levante a cabeça a vitória chegou”

 “Você é mais do que vencedor, Deus vai te honrar!”

 “Não se deixe intimidar querido DEUS conta contigo varão! DEUS vai honrar sua fé.”

 “A luta vem e passa”

“Quem não tiver pecado,atire a primeira pedra”

Espere um pouco…. como é o negócio? Deus vai te honrar? Não se intimide? A luta vem e passa? Quem não tiver pecado atire a primeira pedra?

Quero dizer aos irmãos que vocês estão agindo absurdamente errado! Ninguém tem que consolar o pecado, principalmente de alguém que tem o título de pastor.

Será que quando o rei Davi pecou o profeta Natan foi até ele “entregar a vitória ou honrar o rei?” Não meus amados, não! Ele foi lá dizer que Davi pecou e deixa-lo ciente que seu pecado teria consequências.

O que tem que vir após um pecado na igreja é temor e repreensão (1tm 5:20), e não “o festival da vitória”.

Dar apoio emocional a alguém que pecou não significa ignorar o que a pessoa fez ao ponto de dizer que Deus vai honrá-lo. O que o deusamorense deveria fazer agora era avaliar sua liderança, até  porque Deus dá discernimento à igreja para avaliar e confrontar seu(s) líder(es) (1Tm 5.19-21); e não ficar agindo como se alguém estivesse “intimidando” o pastor. Chamar de “luta” todo esse escândalo é uma afronta ao evangelho e a Palavra de Deus!  Será que agiriam de forma tão compadecida se esse escândalo tivesse ocorrido com o dirigente da igreja do seu bairro? Ou com o jovem ou a jovem que rege o grupo de mocidade? Ou com aquele obreiro desconhecido que abre o culto todos os dias?

É claro que não! Não sejam hipócritas de dizer o contrário! Vocês estão agindo assim porque o pastor David Filho tem notoriedade dentro do ministério, mas para Palavra de Deus isso não importa o que importa é que o pastor tem que ser irrepreensível.

Outro fato absurdo é que pela primeira vez na história, um pastor peca, é suspenso e faz mesmo assim uma campanha on-line. A pessoa que peca, ainda mais um pastor deve partir para o isolamento de funções ministeriais, isso incluiu orar pelos outros. A pessoa precisa ter seu momento para buscar o perdão, a restauração, refletir sozinho sobre o que aconteceu. E não fazer uma campanha seja lá onde for. Ao que parece o pastor David Filho quer na verdade obter a aprovação das pessoas e muita bajulação.

Outra coisa bizarra que virou moda neste escândalo é defender David Miranda Filho utilizando a famosa frase “quem não tiver pecado atire a primeira pedra”. Quer dizer que agora não aceitar o pecado é atira a primeira pedra? Ué mas não é a IPDA a igreja que mais gosta de atirar pedras em pastores de outras denominações? Ou eu estou enganado? Quer dizer que na igreja dos outros podem atirar as pedras que quiserem mas quando um pastor da IPDA pede fotos nuas de uma moça na internet, “não devemos atirar a pedra”. É lamentável e extremamente estarrecedor que para muitos “deusamorenses” todo esse escândalo envolvendo David Miranda Filho não passou de um deslize que pode ser amplamente justificado com um simples “não atire a primeira pedra”.

O pastor deve ser sóbrio

“sóbrio” – essa palvra significa “prudente”, “disciplinado”. Phil Newton comenta que o ministro sóbrio é aquele que “é capaz de exercer juízo correto, mesmo em momentos difíceis. O homem sóbrio evita excessos e pensa com clareza. O ministro tem uma vida ordenada e autodisciplinada, determinando com clareza suas prioridades”.

Portanto, ser sóbrio é possuir pensamentos e objetivos claros, expondo prioridades, não fazendo as coisas precipitadamente, mas sendo cauteloso em todos os passos.

Não se pode admitir na IPDA e em ministério algum que um pastor que não tenha prudência e que não tenha a vida disciplinada possa exercer qualquer função na igreja. A disciplina é fundamental na vida de um homem de Deus. O comportamento do pastor deusamorense enquanto conversava com a moça, passou muito longe de tudo isso. O pastor David Miranda Filho não teve nesse episódio o mínimo controle das suas atitudes se entregando de forma até fácil para o pecado. Foi espantoso.

Aí como sempre o diabo na visão de muitos foi exclusivamente o causador disso tudo. Será? Mas a Palavra de Deus não exige que o pastor seja sóbrio? Ao invés de simplesmente atribuir a culpa ao diabo, não deveríamos cobrar do pastor sobriedade, uma vez que a Bíblia lhe exige isso não função de pastor? E não adianta alegar que ele foi honesto em confessar o pecado. Ele admitiu o erro um mês depois e ainda assim pressionado pelo vazamento do vídeo que o denunciou.

Bom, vamos terminar por aqui, creio que o que expus é mais do que suficiente. Se quiser deixe o seu comentário de forma civilizada.

Comente pelo Facebook

Comente pelo Facebook

Saulo Souza da Cruz

É formado em Comunicação Social - Publicidade e propaganda. Evangélico, criou a Rede Pentecostal para divulgar notícias do segmento pentecostal.

more recommended stories