Justiça suspende as eleições na Assembleia de Deus. “Deu até polícia”

A juíza Angélica dos Santos Costa, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, suspendeu as eleições da CGADB (Convenção Geral das Assembleias de Deus do Brasil) na manhã deste domingo (09). Mais de 20 mil pastores se inscreveram para escolher o novo presidente da Convenção Geral do ministério do Belém.

“Determino a suspensão das eleições da Mesa Diretora e do conselho fiscal da Convenção Geral das Assembleias de Deus do Brasil para o quadriênio  2017/2021, devendo ser designada nova data com observação de todas as ordens judiciais proferidas”, comentou a juíza na decisão.

Segundo o portal JM Notícia, um oficial plantonista se dirigiu ao endereço onde se reuniam integrantes da comissão eleitoral e cumpriu mandado judicial às 10h45min. De acordo com o portal Gospel Prime, ontem à noite o interventor nomeado pela justiça para acompanhar a comissão eleitoral, dr. Márcio José de Oliveira Costa foi impedido de participar de uma reunião da comissão e chamou a polícia.

Portal das eleições da CGADB informa o cancelamento das eleições neste domingo.

Concorrem ao cargo de presidente da Convenção Geral, o Pastor Wellington Júnior, ex-presidente da Casa Publicadora das Assembleias de Deus (CPAD), presidente da Assembleia de Deus na cidade de Guarulhos (SP) e 1º vice-presidente da Convenção Confradesp; Pastor Samuel Câmara, presidente da Igreja Mãe em Belém do Pará, tendo exercido os cargos de 1º Secretário e 1º Vice Presidente na CGADB; Pastor Cícero Tardim, presidente da Assembleia de Deus Alto Piriqui –PR.

Eleições conturbadas

As eleições desse ano já podem ser considerada uma das mais conturbada da história das Assembleia de Deus no Brasil. Após várias ações judiciais, denuncias de inscrições de eleitores “fantasmas”, e o afastamento de toda a comissão eleitoral, segundo o portal Gospel Prime, o Supremo Tribunal de Justiça decidiu juntar no fórum de Madureira, no Rio de Janeiro, os 14 processos que ainda estão em andamento. Ontem, o Juiz Thomas Souza decidiu manter todas as intervenções e punições em caso de desobediência ou obstrução da justiça, e o cancelamentos das inscrições irregulares. Ao mesmo tempo, devolveu a José Wellington da Costa Jr. o direito de concorrer no pleito neste Domingo.

Comente pelo Facebook

Comente pelo Facebook

Saulo Souza da Cruz

É formado em Comunicação Social - Publicidade e propaganda. Evangélico, criou a Rede Pentecostal para divulgar notícias do segmento pentecostal.