Estudo da PUC revela clima tenso pela disputa de poder na liderança da IPDA


Pesquisador revela caos na Igreja Deus é Amor gerado pela ausência do Missionário David Miranda


Um estudo realizado pela Pontifícia Universidade Católica (PUC), revelou os bastidores da crise que a Igreja Pentecostal Deus é Amor (IPDA) tem enfrentado para achar uma saída para o vácuo deixado pelo ausência do fundador da denominação, Missionário David Martins Miranda, morto em Fevereiro de 2015 vitima de um infarto fulminante aos 79 anos.

O estudo realizado pelo professor Alden Antônio de Araújo, mestre em Ciências da Religião pela PUC de São Paulo, abordou os bastidores do processo de sucessão da liderança dos deusamorenses. O estudo intitulado “Deus é Amor ou Poder?” que será publicado em breve por uma editora, revelou que a “Deus é Amor” está mergulhada numa crise de identidade que tem jogado luz na incapacidade da atual diretoria de eleger um substituto que de fato lidere os desamorenses com o carisma que seu líder anterior exercia.

Araújo conta em seu estudo que vinha analisando a IPDA mesmo antes do falecimento do Missionário, e que após a morte de Miranda se concentrou em acompanhar como a IPDA e suas novas lideranças iriam reagir à necessidade de sucessão de um líder tão carismático com era David Miranda. O professor visitou os templos locais e a própria Sede Mundial da denominação diversas vezes, entrevistando pastores e membros da denominação para sentir o clima que tem tomado conta da avenida do Estado e das filiais da Igreja Deus é Amor pelo Brasil. O trabalho do pesquisador revelou um ambiente caótico dentro da “Deus é Amor”, fruto das brigas internas entre a família Miranda e outros pastores do alto escalão da denominação pela liderança do ministério e pelas mudanças que vem acontecendo internamente.

O Professor Alden Antonio de Araujo. Imagem Divulgação.

De acordo com o Araújo, uma das razões para o turbulento processo que a IPDA tem passado, são as dúvidas que estão emergindo sobre a legitimidade da atual diretoria do ministério. Como a Igreja não seguiu nenhum tipo de regra para nomear Ereni Miranda com presidente da IPDA, sobram questionamentos entre membros e obreiros acerca das decisões que estão sendo tomadas pela diretoria. “Apesar de Ereni Miranda, esposa de David Miranda, ter assumido o cargo de presidente da IPDA, após a morte de seu marido, há um vácuo de liderança nesta denominação, principalmente, porque não estava previsto, explicitamente, um plano específico para o processo sucessório”, analisa Alden em seu estudo.

Para suprir a ausência de David Miranda, o estudo da PUC, revelou que Ereni Miranda, Débora Miranda e Lourival de Almeida tem investido em um “processo de racionalização administrativa” na igreja que tem por finalidade promover mudanças tanto no Regulamento Interno da IPDA como em questões administrativas justamente para atrair novos seguidores à denominação e colocar de escanteio séquitos da ideologia doutrinária do Missionário David Miranda.

 

 

há um vácuo de liderança nesta denominação, principalmente, porque não estava previsto, explicitamente, um plano específico para o processo sucessório.

Alden Antônio Araújo

O estudo revelou que a Sede Mundial tem realizado reuniões com alguns obreiros para discutir as delicadas mudanças que a diretoria vê como necessárias para conter a evasão de membros da IPDA para outras denominações pentecostais que estão aproveitando a instabilidade na “Deus é Amor” para captar o rebanho da Igreja. Pastores dissidentes já perceberam que a “Deus é Amor” está perdendo o título da igreja mais rígida do país. Aquela áurea que a IPDA tinha de ser a igreja escolhida, a igreja de doutrina, a “Filadélfia dos últimos dias” parece que foi enterrada junto com o Missionário David Miranda.  Já tem ex-pastores da IPDA pedindo que membros da denominação que querem seguir a doutrina implantada por David Miranda saiam da “Deus é Amor” e se juntem aos dissidentes na fundação de igrejas mais rigorosas que a IPDA. A diretoria da IPDA dê olho nos insurgentes, tem isolado obreiros conhecidos, fechado igrejas e deixando os pastores locais o menor tempo possível como dirigentes de igrejas maiores justamente para impedir que esses pastores ganhem o apoio do público e dividam a denominação. Um pastor abordado pelo pesquisador confirmou que foi deslocado de igreja duas vezes em menos de um ano e que as trocas estavam ficando cada vez mais recorrentes.

 

 

Por quanto tempo a dinastia da família Miranda conseguirá manter-se à frente da denominação?

Alden Antônio Araujo

“Agora a diretoria da IPDA está entre a “Cruz e a Espada”. Eles só tem 2 caminhos possíveis para tentar conter a crise. Ou retiram a rigidez da doutrina e implantam um novo modelo administrativo para atrair novos membros que possam suprir a ausência dos insatisfeitos ou reforçam a doutrina de David Miranda e criam uma igreja mais rigorosa ainda. O problema é que claramente a vice-presidente da IPDA, Débora Miranda tem dados sinais claros que está disposta a abrir a IPDA para os mais jovens”, comentou o administrador da Rede Pentecostal, Saulo Souza da Cruz. O Estudo da PUC revelou por exemplo que há um movimento sigiloso liderado por Lourival e Débora que está preparando um regulamento interno mais flexível do ponto de vista da doutrina, onde alguns itens, tidos como pecado, deixariam de ser mencionados.

Mas são justamente essas mudanças que atual diretoria tem tentado implantar para agradar os mais jovens que tem sofrido intensa resistência de alguns obreiros mais antigos da denominação. Uma ata de uma reunião realizada na Sede Mundial no final de 2016 e que vazou nas Redes Sociais, mostrou que a IPDA perdeu 1 obreiro a cada 3 dias só no segundo semestre de 2016. “Uma das gota d’agua para muitos obreiros foi a comemoração da “Cantata de Natal de 2016”, evento muito criticado por alguns membros da IPDA pelo “mundanismo” que de acordo com os críticos incorporou o natal pagão dentro do ministério. Na época para rebater os críticos o Pastor Lourival chegou a afirmar que a igreja não poderia ficar como na década de 60″, comentou Saulo da Rede Pentecostal.

Alden: “Após a morte de Miranda, há um vácuo de liderança nesta denominação”.

Outra “pedra no sapato” da IPDA tem sido as Redes Sociais. O estudo de Alden apontou que tem aumentado o número de membros e obreiros que tem usado as Redes Sociais para expor opiniões contrárias à direção da denominação. O pesquisador constatou que dentro dos templos da “Deus é Amor” ninguém se atreve a dar qualquer opinião sobre assuntos polêmicos da denominação com medo de represálias, mas na internet se valendo da condição do anonimato, os fiéis se sentem livres para falar o que querem. “No templo, as pessoas oravam a uma só voz, mas nas Redes Sociais eram claras as vozes dissonantes que apoiavam um em detrimento do outro”, comentou Alden em seu estudo. Débora Miranda por exemplo, preocupada com a dimensão das criticas ao ministério na internet, chegou a processar o Google e o Youtube para identificar os críticos da denominação na internet.

Para finalizar Alden conclui que “a nova diretoria, constituída fundamentalmente dos familiares de Miranda, reconhece a inexistência de um novo líder carismático capaz de abarcar para si todo capital disponível no campo “ipedeano”, após a morte do seu único presidente. A alternativa escolhida consistiu em acelerar o processo de institucionalização e modernização da igreja, dando-lhe um caráter mais racionalizado, cuja legitimidade se fundamenta não mais no carisma de alguém, mas na burocratização do quadro administrativo da igreja. Araujo ainda afirma que o turbulento processo de sucessão de David Miranda na IPDA deve render mais estudos acadêmicos e atrair pesquisadores que poderão enfim responder a perguntas que atualmente não tem respostas.

“Por exemplo, por quanto tempo a dinastia da família Miranda conseguirá manter-se à frente da denominação de forma legítima? Quais serão as consequências destas reformas em curso para o futuro da IPDA, sobretudo, a reforma moral que altera significativamente o RI da instituição, objeto de tanta disputa que coloca em oposição “
conservadores” e “modernistas”? A partir desta nova configuração de distribuição do poder na IPDA, como
a nova diretoria conseguirá conter a evasão de fiéis caso ocorra, de fato, a cisão entre o trio familiar
dominante (Ereni, Debora e Lourival) e o primogênito subversivo, David Miranda Filho? Estas e outras questões tornam a IPDA um relevante campo de estudo aos pesquisadores do fenômeno religioso, que pretendem
investigar como as denominações religiosas são afetadas pela necessidade de suceder o líder carismático, que a instituiu a partir de seu carisma e que não foi capaz de preparar um sucessor que possuísse capital suficiente para exercer sua dominação de forma legítima”, encerrou Alden.
O estudo completo do professor Alden Araujo poder ser baixado neste link.

É formado em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda. É pregador pentecostal desde os 14 anos. Trabalha na área de palestras e treinamentos em uma multinacional japonesa. É proprietário do portal Rede Pentecostal e escreve sobre diversos temas nesse site.