Pesquisa: 85% membros da IPDA querem mudanças na doutrina


Pesquisa realizada pela Rede Pentecostal questionou a aceitação de mudanças na denominação pentecostal


No que depender de grande parte dos membros da Igreja Pentecostal Deus é Amor (IPDA), a reforma de alguns itens do Regulamento Interno (RI) pode ocorrer sem maiores problemas. Uma pesquisa realizada pela Rede Pentecostal entre os dias 16/07 e 03/08 quis saber dos internautas quais pontos da doutrina da IPDA deveriam ser reformados. A “Deus é Amor”, é conhecida no meio evangélico por ter um código de conduta rígido que contém uma série de proibições, como assistir televisão por exemplo. Mas após o falecimento do fundador da denominação, Missionário David Miranda, os atuais líderes da denominação parecem estar levando o ministério a reformar alguns pontos do regulamento interno da denominação. Um dos principais diretores da Igreja, o pastor Lourival de Almeida, genro do fundador da IPDA, chegou a afirmar no ano passado que a igreja não poderia continuar como se estivesse na década de 60, e que a denominação tinha que progredir. Opinião que sua esposa, Débora Miranda, vice-presidente da IPDA, também parece compactuar quando afirmou que não era a intenção da diretoria da igreja criar crentes religiosos.



Mas afinal quais pontos do regulamento do ministério poderiam ser alterados com a anuência dos membros da IPDA? Para saber mais sobre isso, a Rede Pentecostal elaborou um questionário com 10 perguntas sobre os principais itens do código de conduta da “Deus é Amor”. Mais de 500 internautas entre membros da IPDA e adeptos de outras denominações responderam a pesquisa assinalando quais itens poderiam ou não sofrer mudanças. Os dados da pesquisa revelaram que 85% das pessoas que se declararam membros da IPDA concordam que a Igreja Deus é Amor poderia reformar pelo menos um item dos 10 que a pesquisa abordou.

 

Entre os que não são membros a vantagem é ainda maior, 95% dos internautas querem pelo menos 1 mudança no Regulamento da IPDA, enquanto 5% gostaria que ficasse com está. “O resultado é bastante emblemático. Os dados revelam que de cada 4 membros, 3 querem que alguma coisa mude dentro do ministério”, comentou o administrador da Rede Pentecostal, Saulo Souza da Cruz.

A análise dos dados da pesquisa também surpreende quando analisamos individualmente cada item. Em muitas perguntas elaboradas, quase sempre metade do corpo de membros divergem sobre a doutrina do ministério. Isso indica na visão do administrador da Rede Pentecostal, que a Igreja Deus é Amor está cada vez mais pendendo para uma grande reforma no Regulamento Interno. “As mudanças no RI sempre aconteceram, a verdade é que ele sempre mudou. Já proibiram homens usarem roupas vermelhas e depois voltaram atrás. Já proibiram a bateria, pois Deus teria revelado que era um instrumento do Diabo, depois voltaram atrás. Já proibiram óculos escuros pois consideravam vaidade, depois voltaram atrás. Até depilação eles proibiram depois voltaram atrás. Tudo isso enquanto David Miranda era vivo. O que temos que ter em mente é que o que for costume vai mudar mas o que for doutrina Bíblica, isso sim é imutável”, comentou Saulo Souza da Cruz.

Homens e Mulheres de lados opostos

A pesquisa indagou aos internautas qual a opinião deles referente a homens e mulheres sentarem em lados opostos na igreja. 53% dos membros pesquisados responderam que a IPDA está correta pois homens e mulheres sentarem em lados opostos na igreja evita escândalos. Por outro lado um número considerável de deusamorenses (43%), responderam  que essa norma poderia ser modificada para que famílias possam acompanhar o culto juntos.

Entre os que não são membros, 67% acreditam que a IPDA deveria mudar esse item, enquanto 31% acha que a divisão entre homens e mulheres deve continuar.

Divórcio e novo casamento

Outro ponto polêmico, o divórcio também teve bastante opiniões divididas. Atualmente da “Deus é Amor”, não se admite o divórcio e novo casamento em nenhuma circunstância. A Rede Pentecostal questionou se a prática deveria ser liberada caso seja constatado que houve adultério de um dos cônjuges, visão compartilhada por outras igrejas pentecostais. Cerca 56% dos membros da IPDA , afirmaram que tem que continuar proibido, enquanto 34% concordam que um divorciado vítima de um adultério poderia se casar de novo e entrar em comunhão. Quase 9% dos membros não souberam ou não quiseram opinar sobre esse tema. “Também temos aqui outro resultado surpreendente. Se somarmos os 34% com os 9% que ficaram indecisos, chegamos a conclusão que a atual visão da denominação sobre o divórcio não é consenso entre 43% dos membros da IPDA. Isso é muito alto. Quase metade da Igreja”, comentou Cruz.

 

Shorts para homens

Quanto ao uso de shorts para homens, 65% dos entrevistados afirmaram que essa proibição deveria ser mantida pois trata-se de uma veste pecaminosa, enquanto 26% acreditam que esse item poderia ser revisto. Entre os internautas que são de outras denominações, 58% acreditam que poderia ser liberado enquanto 38% concordam que deveria manter proibido.

Calça cumprida para mulheres

Esse item já vinha sofrendo mudanças mesmo durante a gestão do Missionário David Miranda. Até 2004, o R.I. proibia às mulheres o uso da calça comprida, seja qual fosse o trabalho por elas executado. Posteriormente em 2007, a calça foi liberada para estudantes em período escolar e na versão atual, a partir de 2013, a calça comprida poderia ser utilizada por profissionais que atuassem em centro cirúrgico. O curioso é que nessa mesma versão, foi removido do R.I, o versículo em Deuteronômio 22:5 (Não haverá traje de homem na mulher, e nem vestirá o homem roupa de mulher) que tentava justificar a posição da IPDA naquele momento. 55% dos membros acreditam que tem que continuar proibido enquanto 42% acham que deveria ser liberado. “Mais um ponto que parece não ser consenso entre os deuseamorenses”, pontua Saulo.

Na visão de irmãos de outras igrejas, 72% acreditam que poderia ser liberado enquanto 26% concordam com a manutenção da proibição.

 

Tratamento de cabelo para mulheres

Referente à mulheres poderem fazer tratamento nos cabelos (pintar, alisar, aparar as pontas), cerca de 50% dos membros opinaram que deveria continuar proibido, enquanto 44% acredita que esse item deveria ser reformado. Entre os irmãos de outras denominações, cerca de 73% dos entrevistados acreditam que esse item tem que ser mudado, enquanto 20% acham que deve continuar proibido.

Quanto a assistir televisão, 53% dos membros da “Deus é Amor”, rejeitam a ideia de ser permitido assistir a programação da televisão, enquanto 41% não vêem problema em assistir TV. Entre membros de outras denominações, 72% acreditam que a regra da proibição de assistir TV deveria ser extinta, enquanto 22% acreditam que a regra tem que continuar mantida.

 

Participar de práticas esportivas

Quanto a participar de práticas esportivas, 57% dos membros da IPDA opinaram que praticas esportivas são saudáveis e que por isso a IPDA deveria permitir. Para 30% dos membros a prática de esportes deve continuar proibida pois atividades esportivas são coisa do diabo. Entre a comunidade evangélica, 80% das pessoas que responderam a pesquisa consideram os esportes saudáveis enquanto apenas 12% acreditam que o esportes tem relação com o adversário. “Curiosamente o item de práticas esportivas foi o único item que individualmente, o percentual de membros da igreja que aceitariam uma eventual liberação é superior aos que acham que os esportes são coisas do Diabo”, comenta Cruz.

Frequentar a praia



Quanto a frequentar a praia, 46% dos membros da Igreja Pentecostal Deus é Amor acreditam que tem que continuar proibido enquanto 44% afirmaram concordar com a liberação de ir a praia acompanhado da família. Entre adeptos da comunidade evangélica, 68% acreditam que deveria ser liberado enquanto 26% acreditam que deveria continuar proibido. “Aqui temos outro ponto que está praticamente empatado. Aqui podemos exemplificar o quão divergente está a opinião do deusamorense sobre atividades ligadas ao lazer”, pontua Saulo.

Uso de Jóias

Quanto ao uso de jóias ou bijuterias, 72% dos membros rejeitaram a IPDA fazer a liberação do uso, enquanto 20% afirmaram que deveria ser liberado pois a Bíblia não proíbe o uso. Na comunidade pentecostal 42% acreditam que a Bíblia não proíbe o uso, enquanto 45% concordam com a proibição da IPDA.

Com relação ao uso de maquiagem, 70% dos membros da IPDA, rejeitam a ideia de ser liberado o uso, enquanto apenas 22% acham que deveria ser liberado. Entre os membros de outras denominações evangélicas, 42% rejeitam a ideia de liberar o uso de maquiagem, enquanto 46% aprovam a liberação. “Esse é um exemplo de um item que dificilmente será modificado na Deus é Amor, pois a rejeição é muito grande”, finaliza Saulo Souza da Cruz.

Todos os dados pesquisa em formato de Excel estão disponíveis para qualquer internauta analisar. Basta solicitar os dados através do e-mail “contato@redepentecostal.com”. A Rede Pentecostal segue acompanhando as mudanças na Igreja Pentecostal Deus Amor. Nós próximos dias será realizado uma nova pesquisa, dessa vez sobre questões administrativas do ministério.

É formado em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda. É pregador pentecostal desde os 14 anos. Trabalha na área de palestras e treinamentos em uma multinacional japonesa. É proprietário do portal Rede Pentecostal e escreve sobre diversos temas nesse site.