Madre Teresa de Calcutá: o lado obscuro da nova ‘santa católica’

Madre Teresa, canonizada no último domingo (4) pelo papa Francisco, sem dúvida é a figura católica mais respeitada e admirada na história da Índia. No entanto, desde os anos noventa várias vozes se ergueram para criticar seu lado obscuro, “sobre o qual nem no Ocidente nem na Índia querem ouvir falar, porque ninguém quer saber que seu ícone da compaixão, Prêmio Nobel da Paz, era uma fanática religiosa amiga de ditadores, ricos e corruptos. Aos pobres pediu resignação e os ajudou a morrer, mas sem lhes dar cuidado profissional”, diz Aroup Chatterjee. Esse médico de Calcutá, residente em Londres, tem sido seu crítico mais consistente. Escreveu o livro Mother Teresa The Final Veredict (Madre Teresa, O Veredito Final) e esteve por trás do documentário Hell’s Angel (Anjo do Inferno) do reconhecido jornalista norte-americano Christopher Hitchens, que em 1994 expôs pela primeira vez em nível mundial a outra face da freira.

Embora a religiosa sempre tenha afirmado que não fazia política, deu seu reconhecimento, entre outros, ao ditador do Haiti Jean-Claude Duvalier e ao regime totalitário de Enver Hoxha, na Albânia. Também recebeu algumas doações que foram muito criticadas, como as de Charles Keating, preso pela maior fraude financeira da história dos Estados Unidos até finais dos oitenta. Quando Keating foi para a prisão, longe de devolver o dinheiro que lhe havia entregue (pelo menos 1 milhão de dólares, cerca de 3,25 milhões de reais ), madre Teresa intercedeu no tribunal pedindo misericórdia.

Chatterjee afirma ser impossível saber as doações recebidas pela congregação das Missionárias da Caridade, fundada por Madre Teresa, mas diz que são milhões e milhões de dólares. “Com essa fortuna poderia ter ajudado os doentes a viverem melhor”, diz. O médico considera que Madre Teresa dedicou sua vida a expandir o catolicismo mais fundamentalista, pregando o culto ao sofrimento. “Não dava nenhum analgésico forte aos moribundos, mesmo nos casos mais extremos, e os cuidados não eram profissionais. Careciam da mais básica higiene, sofriam condições de tortura.” Ele reconhece que a situação melhorou nos últimos anos, mas acentua que ainda é péssima.

Madre Teresa também encabeçou a cruzada do Vaticano contra o aborto e os anticoncepcionais. Em seu discurso de aceitação do Nobel, em 1979, declarou que “o maior destruidor da paz hoje é o choro da criança inocente não nascida”.

Madre Tereza de Calcutá: Santa ou fanática?
Madre Tereza de Calcutá: santa ou fanática?

Apesar de a madre só ajudar os crentes a se aproximarem de seu deus, qualquer que fosse, em particular admitiu que havia convertido mais de 29.000 pessoas que morreram em sua instituição, conta o médico. Em um vídeo, a religiosa explica que os batizou “para que São Pedro os deixe entrar no céu”. E conclui que “é muito bonito ver as pessoas morrerem com tanta alegria”.

Outro de seus críticos é o cubano-norte-americano Hemley González, que em 2008 foi voluntário na congregação. “Ia viajar pela Índia e decidi fazer trabalho social. A marca de Madre Teresa é tão forte, que mesmo sem ser religioso foi a primeira coisa que me ocorreu. Eu me dei conta de que se tratava de uma violação sistemática dos direitos humanos e de um escândalo financeiro”, afirma. Conta que viu como as agulhas só eram lavadas com água e usadas de novo, e que os doentes recebiam remédios vencidos.

Os voluntários não tinham preparo, segundo Gonzáles. “Um deles deu de comer a um paralítico, que se engasgou e morreu. Eu estive na cremação de 12 pessoas, algumas das quais acredito que poderiam ter sobrevivido”, diz González, ainda consternado. Na sua opinião, os missionários não são amigos dos pobres, mas promotores da pobreza. Ao regressar a Miami, juntou dinheiro para fundar aONG Responsible Charity Corp. Diz que suas contas são transparentes, que em 2014 seu orçamento foi de 65.000 dólares (212.000 reais). “As missionárias poderiam fazer muito mais com tudo o que recebem.” As Missionárias da Caridade se recusaram a responder às perguntas de ‘El País’.

O conhecido “racionalista” Debasis Bhattacharya afirma que Madre Teresa fazia os pobres sofrerem para poderem receber o amor de Deus. “Mas ela nunca esperou. Quando ficou doente recorreu a serviços de saúde modernos e caros.” Do primeiro milagre que o Papa reconheceu como dela, a cura de um tumor em Mónica Besra, garante que foi uma mentira planejada: “Seu tumor não era cancerígeno, mas de tuberculose. Curou-se porque foi diagnosticado e tratado no hospital.”

Os críticos da madre sabem que ainda são poucos os que querem escutá-los. Mas ficam satisfeitos ao ver que a mídia começa a fazer eco das críticas à Madre Teresa. “Das ONGs se exige transparência e profissionalismo. Por que não das Missionárias da Caridade? Passados quase 20 anos da morte de Madre Teresa, causam mais danos do que ajudam”, diz González.

Fonte: Verdade Gospel

Comente pelo Facebook

Comente pelo Facebook

Rede Pentecostal

A Rede Pentecostal é um site de Notícias Evangélicas do segmento pentecostal.